Desmame precoce em crianças menores de seis meses e suas repercussões na morbidade infantil – Um desafio diário

R$0.00

Neste estudo avaliou-se mães e crianças das áreas adscritas de três equipes do Programa de Saúde da Família (PSF) – Pocinhos – PB, com o objetivo de determinar a frequência do aleitamento materno exclusivo em menores de seis meses, motivos para o desmame precoce e suas repercussões na morbidade deste grupo, através de metodologia descritiva de corte transversal e análise qualitativa. Mediante a análise dos dados coletados, obteve-se os seguintes resultados: a Taxa de Aleitamento Materno Exclusivo Global foi de 31,8%; Taxa de Aleitamento Exclusivo por Idade Materna (TAid) – Zona Urbana: 40,5% e Zona Rural: 25,0%; Taxa de Adoecimento segundo o tipo de aleitamento (TAA) foi 78,3% para o artificial, 56,2% para o misto e 25,0% para o exclusivo. Dentre os motivos de desmame referidos pelas mães destacam-se: leite “pouco”, “fraco”, “pouco e fraco”.

(Downloads - 10)

Categoria:

Descrição

Neste estudo avaliou-se mães e crianças das áreas adscritas de três equipes do Programa de Saúde da Família (PSF) – Pocinhos – PB, com o objetivo de determinar a frequência do aleitamento materno exclusivo em menores de seis meses, motivos para o desmame precoce e suas repercussões na morbidade deste grupo, através de metodologia descritiva de corte transversal e análise qualitativa. Mediante a análise dos dados coletados, obteve-se os seguintes resultados: a Taxa de Aleitamento Materno Exclusivo Global foi de 31,8%; Taxa de Aleitamento Exclusivo por Idade Materna (TAid) – Zona Urbana: 40,5% e Zona Rural: 25,0%; Taxa de Adoecimento segundo o tipo de aleitamento (TAA) foi 78,3% para o artificial, 56,2% para o misto e 25,0% para o exclusivo. Dentre os motivos de desmame referidos pelas mães destacam-se: leite “pouco”, “fraco”, “pouco e fraco”.